Início Editorias Política Sorriso: Câmara analisa projeto que pretende financiar R$ 45 milhões para infraestrutura...

Sorriso: Câmara analisa projeto que pretende financiar R$ 45 milhões para infraestrutura no município

0
Compartilhar

A prefeitura municipal de Sorriso enviou a câmara de vereadores local, a apreciação do PROJETO DE LEI Nº 12/2019, requisitando a autorização dos edis, de um empréstimo no valor de  R$ 45 milhões junto a Caixa Economica, para melhorar a infraestrutura do município.

Os recursos deste projeto serão aplicados na execução de obras de infraestrutura e saneamento na seguinte forma: drenagens e pavimentação asfáltica, R$ 10.000.000,00; ciclovias,  R$ 1.000.000,00; construção de lagos e urbanizações, R$ 3.500.000,00; construção de ginásio esportivo e escolas,  R$ 22.000.000,00; obras na saúde,  R$ 8.500.000,00.

O secretário municipal de administração, Estevam Calvo Filho, falou com a  reportagem  do MTnoticiais detalhando  o que se pretende  fazer com todo o valor e como serão liberados para  os investimentos. Segundo o secretário esse montante deve resolver vários problemas de infraestrutura no município.

O valor de  R$ 10 milhões seria usado para drenagem e pavimentação.  “Esse valor será fundamental para fazer a pavimentação asfáltica e drenagem do Leonel Bedin e do Nova Prata, que são bairro industriais e as industrias precisam ter asfalto, sendo  um problema recorrente a anos”.

O valor de R$ 1 milhão será para prolongar  a ciclovia da avenida Blumenau e que já esta em construção. Já  R$ 3,5 milhões será para a recuperação de degradação de áreas ambientais. “Em especial ali próximo ao Benjamim Raiser na Perimetral, naquela baixada nós temos um problema muito grande”, disse o secretário.

Já  R$  22 milhões possibilitam a construção de um grande ginásio  próximo ao estádio municipal, uma espécie de ginásio poliesportivo  e também  duas escolas. “Uma escola para zona leste e uma para zona oeste, no valor de R$ 8 milhões cada uma.”

 Estevam Calvo disse ainda   que R$  8,5 milhões serão para a construção de um UPA na zona leste  e dois PSFs, sendo um PSF provavelmente no Beijamim Raiser, pois o de lá  é bastante antigo, e o outro   será em uma área descoberta, ou onde   paga-se aluguel.

O projeto esta sendo analisado pela câmara de vereadores e inclusive  foi  assunto durante a  sessão ordinária da Casa de Leis do  dia de ontem(25), na palavra livre de alguns  vereadores,  e deverá  entrar agora   nas reuniões de pautas das próximas sessões.

O vereador Nereu Bresolin explicou que empréstimos fazem parte da gestões. Fazer  financiamentos para suprir as necessidades isso ocorre com frequências em vários municípios. “No decorrer do tempo todos fazem, todos os governos. Vamos relembrar um pouquinho?  … o parque tecnológico, vamos relembrar o residencial Mario Raiter, vamos relembrar o industrial Leonel Bedin… os R$  5 milhões de precatórios que ficaram para pagar. Jamais vocês irão ver o vereador Nereu  ou o politico Nereu falar que os prefeitos estão errados(em fazer financiamentos)“,  defendeu Nereu.

O secretário de administração Estevan Calvo julga como normal buscar financiamento. “Eu vejo com muita naturalidade esses financiamentos.  São obras de extrema necessidade e que a população precisa, como as construções de escolas. Nosso município cresce 10% ao ano. Nós necessitamos construir essas escolas,  investir em infraestrutura nos parques industriais (…), tudo isso é muito importante para o município ter um desenvolvimento. Com relação ao financiamento o que a gente identifica é o seguinte, nesses dois  primeiros anos de mandato a gestão já pagou R$ 17 milhões de investimentos(financiamentos) de gestões anteriores, e até o final desta gestão serão pagos  R$ 21 milhões. É normal de  um governo  fazer financiamento e ficar para outro mandato.”  Estevam  disse ainda    que esses financiamento não serão liberado o valor total  de uma vez só. Serão parcelas bimestrais de R$ 5 milhões cada  e que a próxima gestão ainda que virá  ficará   com R$  10 milhões para investir onde achar necessário. “28% do financiamento vai ficar a disposição do próximo gestor  e é  natural uma gestão deixar dividas para outra. Foi feito um estudo financeiro  e nós temos musculatura pra contrair essa divida sem impactar no nosso orçamento“, defendeu Estevan.

O presidente da Câmara de vereadores, vereador  Claudio Oliveira  em sua fala também demonstrou apoio, já que são obras que   passaram por  várias gestões  e não foram feitas, sendo    obras de infraestrutura, mas ele infatizou  que pretende  discutir com lideranças(sociedade). “Nós aqui desta casa não somos contra, que não seja um financiamento que endivide os prefeitos posteriores, que seja um financiamento com planejamento e  ações. Eu acho é que se vim (projeto) desta forma para esta casa, com valores que sejam ideais, alocado já nas obras, tenho certeza que esta casa não se furtará em colocar em pauta. Mas pautar e discutir com toda nossa sociedade, que não seja só com os vereadores, mas  com presidentes de bairros, com  a sociedade, onde serão realizados estes investimentos“,  disse o presidente da Casa de Leis na última sessão.

O secretário Calvo acredita que o projeto deverá  sim  passar na câmara, pois acredita serem obras necessárias. “Como o projeto é  interessante para nossa população, eu acredito que os vereadores vão apoiar o projeto, porque muitos empresários precisam que o município faça este investimento para continuar a trazer indústrias, para continuar melhorando as indústrias que já estão aqui. A população da zona leste e zona oeste precisam de escolas, precisam de PSFs. Em razão  de que a gente precisa construir, eu acredito muito que a câmara não irá se furtar em apoiar este projeto.”

Foto reprodução

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here